sexta-feira, 16 de março de 2018

SOBRE O ASSASSINATO DA VEREADORA DO PSOL NO RIO DE JANEIRO




Com a execução da vereadora e do motorista- sem importar concordâncias ou divergências com os seus posicionamentos - ocorrida no Rio de Janeiro, eclodiu, no nosso país, mais um ovo da serpente ideológica do mal. Como professor de história - e sempre honrando as exceções - o Brasil contemporâneo me faz recordar, em muitos aspectos, a Alemanha pré- nazista: um povo crescentemente amargurado, ressentido e destituído dos seus sonhos, em consequência da corrupção (à esquerda e à direita), da desinclusão econômica, do descaso das elites, das constrangedoras e desastrosas incompetências na gestão dos bens e políticas públicas, das desavergonhadas traições aos ideários políticos, da violência homicida (que vitima, todo ano, uma multidão de pobres - dentre eles um elevado número de bons policiais); um povo no qual germina com força o sentimento de haver sido pisoteado e derrotado, a disposição de trocar liberdade por falsas promessas de segurança a qualquer custo, a busca de soluções sectárias e messiânicas para resgatá-lo do afundamento na inferioridade e na mágoa, a assunção do ódio e dos enfrentamentos polarizados, a cada dia mais frequentes, a rejeição ao pensamento analítico como "coisa emasculada" (como faziam os fascistas) e "de gabinete"; fracos propondo a eliminação total de outros fracos e diferentes, muitas vezes em nome da religião e de Deus (na pior traição que se pode perpetrar contra Ele). E gente inescrupulosa crescendo em poder, despudoradamente surfando no aproveitamento dessa onda de depressão coletiva, de desistência do processo civilizatório, de abdicação do que é humano, de desfazer a esperança...

É claro que o Brasil não é apenas isso. É claro que a maioria de nós somos mulheres e homens trabalhadores, produtivos, solidários, compassivos, criativos, anonimamente heroicos, gente do bem...Mas os ovos da serpente estão por toda parte, eclodindo em ritmo assustador, e os bichos peçonhentos que deles provêm vão ficando cada vez mais ousados para inocular o veneno da intolerância, do totalitarismo e da truculência, no espírito desta nação que amamos, no espírito do Brasil...
Que Deus nos proteja da insânia de ignorar a história e de, ao ignorá-la, repetirmos aquilo que ela teve de pior...

Ricardo Brisolla Balestreri

Nenhum comentário:

Postar um comentário